REDAÇÃO CIENTÍFICA, cursos | livros de metodologia científica

Redação científica: interdependência das etapas

De acordo com Selltiz et al¹ o modelo frequente para preparar trabalho científico consiste em:

1) Apresentação do Objetivo na forma de Problema (Ideia central);
2) Descrição do planejamento do estudo;
3) Explicação detalhada dos métodos de coleta de dados;
4) Relato dos resultados;
5) Seção dedicada à conclusão e interpretação.

As primeiras revistas científicas surgiram há mais de 300 anos, porém, o modelo para a publicação de artigos denominados originais, Introduction, Methods, Results and Discussion (IMRaD) foi aceito internacionalmente há poucas décadas. Não é por isso que o pesquisador deve seguir às cegas certos "métodos imprecisos e ilógicos", uma vez que poderá banalizar e comprometer a qualidade e prejudicar as expectativas geradas com o trabalho. Na medida do possível, busca-se valorizar a interdependência das etapas apesar da interação variar de acordo com o artigo, o periódico que se pretende submetê-lo e a intenção do editor para o "perfil" de artigo que se quer publicar.

Lógica interna da redação científica (validade interna e coerência interna) são noções básicas que todos os pesquisadores, desde a iniciação científica poderiam usar

O questionário também pode interromper a interdependência das etapas. É preferível organizar, ler e entender a bibliografia mínima, antes de coletar dados, porque pode ser perigoso elaborar questionário embasado em ideias generalistas e livros incompletos. Talvez durante o contato com a literatura especializada, o pesquisador encontre o questionário validado adequado e nem precise "montar" um por conta e risco. A utilização de questionário validado qualifica o estudo e mostra rigor científico, sinal de aprendizado acadêmico-científico e, sobretudo, de respeito ao leitor.

Outra ruptura muito frequente, observada em monografias, dissertações e teses consiste em inserir na Discussão um autor não "ouvido" na Introdução (com ou sem Revisão da literatura). Também evita-se citar autor na Conclusão, ainda que ele tenha sido mencionado em outra parte do trabalho. Alguns departamentos e periódicos seguem outra regra.

No Resumo (Abstract), é imprescindível haver organização de ideias e apresentação lógica interna do texto (coerência), independente do estudo científico, desde o Abstract da singela monografia ao artigo científico, submetido ao periódico de relevante fator de impacto ou Qualis. É necessário verificar se o Resumo é informativo ou estruturado, assim como evitar informações desnecessárias. O leitor espera encontrar com facilidade os pontos de destaque, uma vez que o Resumo (Abstract) pode ou não estimulá-lo a prosseguir com a leitura.

¹Selltiz, Claire; Jahoda, Marie; Deutsch, Morton; Cook, Stuart W. Tradução por Dante Moreira Leite. Métodos de pesquisa nas relações sociais. 5 reimpr. São Paulo: EPU, 1975. p.12-13. Tradução de Research methods in social relations.